Universidade corporativa desponta para melhorar a qualificação de profissionais

Estudo inédito da Deloitte, com 126 empresas, retrata o cenário da educação corporativa no Brasil e mostra a maturidade da prática;

28% das empresas pesquisadas já possuem universidade corporativa. Das 72% que não possuem, mais de um quarto delas (28%) já demonstra interesse em criar a estrutura;

Entre empresas que revelam aplicar recursos em educação corporativa, a média de investimento é de 0,47% do faturamento no período.

Em meio a um cenário repleto de desafios na melhoria da qualificação de profissionais e na retenção de talentos no Brasil, a educação corporativa surge como uma solução cada vez mais adotada pelas empresas, dos mais diversos portes. A análise está presente no estudo inédito “Educação Corporativa no Brasil”, realizado a partir das respostas de 126 empresas, 28% das quais indicam já possuir universidades corporativas em suas estruturas.

“O estudo revela que há uma forte tendência para o desenvolvimento e a implantação de universidades corporativas. A prática tende a crescer ainda mais nos próximos anos”, afirma Marcos Braga, diretor da Deloitte Educação Empresarial – uma nova frente de soluções com foco em ensino corporativo da empresa de consultoria, que visa levar ao mercado conhecimento técnico em diversos segmentos, como práticas contábeis e financeiras. Da amostra das empresas que não têm universidades corporativas (72%), 28% pretendem implantá-la em até dois anos.

Matéria Deloitte